Criciúma - Santa Catarina|sexta-feira, maio 20, 2022
Você está em: Home » Famílias » Walmy Menezes e Maria Crepaldi
  • Siga-nos

Walmy Menezes e Maria Crepaldi 

Walmy Menezes, nasceu em Itapeva, no município de Imaruí, em 16 de outubro de 1926. Era filho de Pedro Menezes e de Donatília Menezes. Viveu a sua infância e juventude na localidade em que nasceu. Com 18 anos foi servir no Exército Brasileiro, na Academia das Agulhas Negras, em Resende, no Rio de Janeiro. No exército era o armeiro da corporação, o que lhe deu um grande conhecimento em armas.

 Walmi Menezes e Maria Crepaldi Menezes

 

Depois do Exército, retornou para Itapeva onde trabalhava na fabricação de óleo de “anós”, que era vendido, principalmente, em Laguna. Com 21 anos veio trabalha nas minas de Criciúma. Trabalhou na Próspera por um ano e depois veio para a mina do Tonin, onde ficou, aproximadamente, por seis anos.

Neste período, Maria Crepaldi, que morava na Mina Tonin, também trabalhava na mesma mineração, na escolha de carvão, juntos com outras mulheres. Foi onde Walmy a conheceu, namoraram e casaram-se, em (faz 60 anos), indo morar numa das casa da empresa, na Operária do Tonin – 1 ano. Maria depois que casou deixou o trabalho de escolhedeira, passou a ser dona de casa.

Maria Crepaldi, nasceu no dia 14 de novembro de 1931, na Mina Tonin. Filha de José Crepaldi e Carolina Da Rolt Crepaldi.

Maria Crepaldi Menezes

(Maria Crepaldi Menezes, com 18 anos)

 

Depois foi morar numa casa do Pedro Zilli – 4 anos, continuou a trabalhar na mina.

Depois 1 anos foi trabalhar na mina da Linha Batista. Na mina era mineiro.

Depois foi para o Rio América, trabalhar na C C Urussanga, onde ficou 8 anos. Teve problemas de coluna e conseguiu a sua aposentadoria.

Trocou de casa com um mineiro que iria trabalhar em Rio América. Ficou em Urussanga, por 3 anos.

Vendeu a casa em Urussanga, construiu uma casa no terreno do sogro, na Mina Tonin onde passou a morar por 4 anos.

Depois deste período negociou a casa do Tonin por uma casa em São Simão, ao lado do terreno do sr. Sílvio Cechinel.

Neste período trabalhou por 5 anos de guarda na mina do 1.

Fez uma sociedade com Pedro Zilli para tocar o armazém, que ficava onde hoje é a Padaria, em frente à Igreja.

Depois de 5 anos de sociedade, saiu da mesma e comprou um lote onde hoje reside o seu filho Rogério e construiu a casa com um armazém/bar na parte debaixo. Depois de 11 anos de atividade do armazém passou o armazém para os filhos. Inicialmente, ofereceu para o Itamar, mas não se adaptou a atividade e repassou para o Rogério, que mantem o estabelecimento até hoje – o Bar do Dedo.

O Walmy fez mais uma casa, mais acima do armazém e foi morar com a esposa, onde residiu até a sua morte.

Foram, ao todo 14 mudanças, sendo que nestas mudanças, diz dona Maria, que não foi quebrada nenhuma xícara.

Walmy era uma pessoa séria e não gostava de falar dos outros.

Walmy faleceu com 83 anos, no dia 25 de julho de 2010.

 

  1. Sirlei, casada com Adair Zanette. Filhos: Suzana, Marcos Daniel e Rogério.
  2. Pedro, casado com Ivone Bonelli. Filhos: Rafael e Ricardo.
  3. Rogério, casado com Rute Gonçalves. Filhos: Roger e Renan.
  4. Itamar, casado com Andréia Cardoso. Filha: Monique.

(Informações e fotos fornecidas por Maria Crepaldi Menezes)

Responder para Walmy Menezes e Maria Crepaldi

Adicione um comentário